É greve até Anastasia pagar o piso que deve! Professores estaduais.

Ontem pra mim foi um dia revigorante. Desses em que a gente renova as esperanças e acredita que a força de um povo que luta junto é capaz de realizar as mais profundas mudanças. Parece clichê esse começo de post (e realmente é, hehe) mas não deixa de ser verdadeiro.

Após 77 dias em greve, os professores estaduais se reuniram em frente à Assembléia Legislativa de MG para, além de protestarem, realizarem mais uma assembléia em que seria definido se a greve continuaria ou teria fim. Por unanimidade, a definição foi: a greve continua!

“É greve, é greve, é greve é greve é greve! Até que o Anastasia pague o piso que nos deve!” Grito de guerra.

Os professores reivindicam o que é seu por direito e o estado não cumpre: que o seu salário tenha base no piso nacional, no valor de R$1.187,97 por 40 horas semanais trabalhadas. O governo alega que já paga além do valor estipulado pelo piso nacional, mas em forma de subsídio, ou seja, somando salário mais benefícios. Estes benefícios podem ser retirados a qualquer momento, por isto os professores não concordam com esta forma de negociação. Aí vem a pergunta que todos fazem: “Se o governo diz que paga mais do que o piso (em forma de subsídio), por que não regularizar e pagar o piso, ficando dentro da lei?”

Esta não foi a primeira assembléia, nem vai ser a última. Mas o que a tornou mais especial e emocionante foi a adesão de diversos setores da população. Além dos professores estaduais, uniram-se à manifestação estudantes, professores de universidades, representantes de sindicatos de várias categorias, movimento dos sem-terra, indígenas e a população em geral que se solidariza com a causa.

Com falas emocionadas, muitos choravam enquanto discursavam. Muitas faixas, tambores e “gritos de guerra” deram tom ao protesto. Depois de aprovada a continuidade da greve, os manifestantes (cerca de 9 mil pessoas!) saíram às ruas fazendo apitaço e explicando à população o verdadeiro motivo da greve. Distribuindo panfletos em que divulgavam o contra-cheque, desmentiam a propaganda mentirosa que o governo veiculou na TV. Durante o trajeto, muitos motoristas ficaram revoltados com o fechamento do trânsito. Mas muitos aplaudiam o movimento, pegavam bandeiras e buzinavam a favor. Moradores de prédios jogavam papel picado e aplaudiam, também em solidariedade.

Mais uma assembléia está marcada para semana que vem. Se o governo for ético, essa assembléia não será necessária. Ontem mesmo o Supremo Tribunal Federal (STF) publicou uma norma tornando obrigatório o pagamento do piso nacional aos profissionais do magistério e educação básica. Exatamente o que os professores estão reivindicando nestes 78 dias de greve. Portanto, se seu filho não está tendo aulas ou se você fica agarrado no trânsito devido as manifestações, a culpa é do governo que não cumpre a ORDEM dada pelo STF.

Ao invés de ir contra os professores, que estão lutando por nada mais que seus direitos, alie-se a eles. O futuro do país depende da educação e, consequentemente,  de melhores condições de trabalho de seus profissionais. E que essa luta sirva de exemplo às outras classes, como policiais civis e militares, bombeiros e toda e qualquer profissão que não tenha seus direitos obedecidos.

“Nunca vi um movimento tão intenso como o de hoje. As pessoas finalmente reconheceram nossa luta pela valorização do professor”, disse Mônica Maria de Souza, professora há 30 anos, ao se referir à adesão, ontem, de outros movimentos sindicais. Jornal O Tempo.

Guy Fawkes está por todo lugar!

Chega de caô, Anastasia!

"Ihh, fudeu! O povo apareceu!". Um dos gritos de guerra.

Simples assim!

 

Os caras-pintadas estão de volta.

Para informações mais detalhadas: Jornal O Tempo.

11 Replies to “É greve até Anastasia pagar o piso que deve! Professores estaduais.”

  1. Rogéria

    Bom, os professores conseguiram o que desejavam e ainda assim mantiveram a greve. O estado de MG vai pagar o piso nacional. O que me incomoda profundamente é que o professor que fez concurso público para trabalhar na rede estadual estava ciente o tempo inteiro do valor a ser pago pelo estado. Se não está satisfeito que procure outro emprego. A rede privada está cheia de novas oportunidades e eu sei disso porque meu irmão é professor. Mas aí existe uma outra questão que é a da competência. É por isso, que mais uma vez, digo: essas manifestações não passam de baderna de sindicalistas, aproveitadores e individualistas. Izabela, não tem ninguém dando a mínima para o seu filho.

  2. mandinhabhz

    Concordo completamente com você, Izabela! Fico imaginando para os alunos e para os pais como é complicadíssima essa situação. Perder uma ano escolar (o que significa atraso de um ano na vida do aluno) realmente é um absurdo!

    Se eu fosse mãe de aluno, estaria desesperada igual você, procurando formas de não deixar meu filho ter um ano da vida dele atrasado por causa de terceiros.

    Só que é aí que está o impasse. Tenho certeza que os professores também ficam chateados por isso, mas eles não podem recuar, também são “vítimas” dessa história. Eles precisam de salários, e precisam que este seja pago de forma garantida. Hoje eles recebem subsídio, um benefício que pode ser retirado a qualquer momento, já que é apenas um benefício que o estado da a eles.

    Educação é um dever do estado dar a sua população. Assim como é dever deles também pagar de forma justa os profissionais que irão colocar em prática essa educação.

    Sou completamente a favor do fim da greve, o mais rápido possível! E que a greve acabando, os professores corram atrás do tempo perdido e executem de forma exemplar seu trabalho, repondo as matérias perdidas com toda a qualidade que os alunos merecem. Mas quero que essa greve acabe respeitando todos os envolvidos, alunos e professores.

  3. Izabela

    Os professores tem todo o direito do mundo de reivindicarem, mas meu filho tem todo o direito do mundo a educação. Tentei transferi-lo para outra escola, mas não posso pois ele não tem nota do 2º bimestre e o 3º já está na metade. Ou seja nenhuma escola o aceita porque já é BOMBA na certa. Reivindicar sim, prejudicar os alunos NUNCA!FIM DA GREVE JÁ!!!!

  4. mandinhabhz

    Verdade, é culpa dos professores. Esses irresponsáveis que fazem greve só porque não possuem um piso salarial, recebem seu salário em forma de subsídio, o que não lhes oferece garantia nenhuma. Mas quem precisa de garantias salariais, não é mesmo?

    Infelizmente no Brasil uma categoria não se preocupa com a outra, é realmente um egoísmo. Sou a favor da união das classes, juntar todas as categorias em um único movimento e clamar por salários justos. Volta em meia greves estouram por aí, não são só os professores. Categorias que merecem muito respeito e que são fundamentais para o bom andamento de uma sociedade sofrem com o mesmo problema.

    Altruísmo pra mim seria todos se unirem e fazer igual na França, por exemplo.O país para, ninguém trabalha, todos os profissionais vão pra rua protestar, unidos. Mas aqui não. Enquanto tivermos essa mente de que “o problema é dele, não quero que a minoria me incomode”, tudo vai continuar como está.

    Não sou professora, não trabalho com educação e individualmente falando, não vou ganhar nada a mais com o objetivo dessa greve. Mas sou a favor sim de que haja uma mudança. Passou da hora de diversos profissionais serem reconhecidos e pagos pelo que merecem. Nada a mais nem a menos do que tem direito,

  5. Rogéria

    Estou apenas ressaltando a estupidez da sua fala: se estou agarrada no trânsito ou se meus filhos estão sem aula não é culpa do Anastasia. É culpa dos professores. Aliás, os professores da rede estadual trabalham 24 horas/semana e não 40 horas, que é o estabelecido na lei do piso nacional do professor. Dessa forma, deveriam receber apenas o equivalente.
    Sobre utilidade e egoísmo, você não me respondeu se é uma atitude altruísta invadir a vida de milhões de cidadãos para requerer o direito de uma categoria de profissionais.

  6. mandinhabhz

    Você está comparado os professores – que só estão brigando para ter um salário que por direito eles deveriam ter? Direito este tornado obrigatório pelo STF – aos bandidos?

    Necessidade de ser útil todos deveriam ter. Ser inútil não me agrada =)
    Egoísta pra mim é quem pensa somente em si. Se tá tudo bem pra vc, pra que se preocupar com os outros, não é mesmo?

  7. mandinhabhz

    Não sou professora, mas apoio demais a causa. Espero que não cedem mesmo, enquanto não conseguirem o que é seu por direito!

  8. Rogéria

    “Portanto, se seu filho não está tendo aulas ou se você fica agarrado no trânsito devido as manifestações, a culpa é do governo que não cumpre a ORDEM dada pelo STF”. Quanta sabedoria! A mesma aplicada à do bandido que culpa os pais (ou a sociedade “opressora”) pelos seus atos. Meu poupe de tanto egoísmo e tanta necessidade de se sentir útil.

  9. paulo freire

    Parabéns Professores. voces merecem respeito. Não cedam. continuem na Luta. Quero ver até onde esse tal de Anastasia quer chegar. Porque ele não chama o papai Aécio? KKKKKKKK Brincadeira esses políticos.

Deixe uma resposta