Falta de água, racionamento, rios completamente secos, queimadas, incêndio criminoso. Onde vamos parar?

Quem segue a página deste blog no Facebook (Próxima Parada) sabe que desde segunda-feira (dia 13) estou viajando pelas cidadezinhas que são distrito de Ouro Preto. Cidades pequenas, algumas com cerca de 300 habitantes apenas, mas que fazem parte da história de Minas Gerais. Foi atrás do conhecimento sobre essa história que eu vim atrás e, principalmente, dos rios e cachoeiras que eram abundantes nesta região. Como está um calor fora do comum, pensei em passear um dia por cada cidade, já que ficam a poucos quilômetros de distância uma da outra, e procurar um riozinho que fosse, pra dar uma refrescada. E claro, fazer alguns posts com muitas fotos, dicas e sugestões sobre o que fazer em cada cidade. Mas o que tenho visto está sendo assustador e infelizmente o primeiro post desta série vai ser sobre um assunto triste e extremamente importante: a falta de água. Triste.

Ouro_preto_glaura_secas_queimada_mg (5) Já passei pelas cidades de Amarantina, Cachoeira do Campo, Glaura, Santo Antônio do Leite e São Bartolomeu. Com
exceção desta última, que ainda tem o Rio das Velhas cortando a cidade, em TODAS as outras cidades a resposta e a cara de tristeza das pessoas quando pergunto “onde encontro um rio por aqui?” é a mesma: “NÃO TEM NADA, secou tudo”. Ou se ainda não secou, está faltando bem pouquinho. Apavorante.

Sabia que nesta época não encontraria grandes maravilhas mesmo, afinal não chove com vontade faz muito tempo, mas não imaginaria jamais que seria desse jeito. Comecei a ver que a coisa está feia logo no princípio da viagem. Pouco depois do Alphavile da Lagoa dos Ingleses tem a Lagoa das Codornas, que eu adorava passar por ali e vê-la ali ao lado. De uns anos pra cá o nível da água abaixou muito, mas o que vi desta vez foi de dar dó. Não tinha um pingo de água sequer. (Veja na galeria de fotos logo abaixo deste texto o “antes e depois”. Deprimente.

Chegando nas cidades citadas acima, o comentário geral é esse. Os moradores falando que estão muito assustados, pois nunca em toda a vida viram as coisas desse jeito. Sem contar as queimadas e fumaça geral, tomando conta de tudo. Onde antes era possível ver montanhas distantes, o Pico do Itacolomi e até o bairro Belvedere em BH, hoje se vê apenas nuvem de fumaça. Estarrecedor.

O sol está se pondo numa cor laranja-ardente. É até bonito de ver, mas sabendo que a causa desta cor diferente é a fumaça e poluição que está no céu, dá vontade de chorar. No dia que cheguei em Cachoeira do Campo, fotografei o sol se pondo atrás da igreja matriz. Achei estranho porque ele se pôs muito rápido, escondeu ainda no alto. Mais tarde fui saber que ali é o Pico do Itacolomi e que, normalmente, dá pra vê-lo perfeitamente atrás da igreja. Se não me falassem, jamais imaginaria. Não dá pra ver nada, nem sombra, nem vulto. Lamentável.

Ontem fui de Cachoeira do Campo a Glaura. Em TODA a extensão da estrada entre as duas cidades, cerca de 5km, os dois lados da rodovia estavam em cinzas. Um cheiro forte de queimada e ainda com alguns focos de incêndio. Cena de filme de terror, nunca vi coisa igual na vida. Tive que parar pra fazer algumas fotos e vídeos (veja na galeria abaixo), pra ver se acreditava naquilo. Assustador.

Estamos acompanhando os noticiários sobre a falta de água em SP, mal nos dando conta que bem próximo de nós está quase do mesmo jeito. Todo dia eu via vários amigos em BH falando que estavam sem água, na última semana Por aqui, nas cidades já citadas, depois das 14hs muitas casas/comércios ficam sem água até o dia seguinte. Rios, represas, cachoeiras… isso tudo está ficando apenas em registros. Até quando vamos continuar lavando carros e calçadas com mangueiras? Até quando vamos continuar jogando bitucas de cigarro nas rodovias, causando incêndios?

Terminei cada parágrafo deste texto com palavras horríveis. Mas é essa a sensação que tenho visto em cada pessoa nesses dias. Tá dando medo mesmo, tá tudo muito estranho! Passou da hora de abrirmos muito nossos olhos, senão não quero nem imaginar o que nos espera.

One Reply to “Falta de água, racionamento, rios completamente secos, queimadas, incêndio criminoso. Onde vamos parar?”

  1. banga

    excelente levantamento, muito esclarecedor pois acho que todos estão caindo de paraquedas nesta triste realidade e o alerta e a mudança de cultura deve ser geral um grande e espontâneo multirão deve sensibilizar a todos, “um dia ouvi falar que a próxima guerra mundial seria por falta de água” e hoje percebo nitidamente esta possibilidade.
    Valeu pelos apontamentos!!!!!

Deixe uma resposta