Paneleiras de Goiabeiras – como são fabricadas as panelas de barro

Paneleiras de Goiabeiras – como são fabricadas as panelas de barro

Quando comecei a pesquisar pontos turísticos em Vitória uma coisa que me chamou muita atenção foram as Paneleiras de Goiabeiras, nome dado às pessoas que fabricam as panelas de barro em que são servidos, entre outros, a famosa moqueca capixaba. Quando viajo gosto de conhecer a essência do lugar, as pessoas que fazem a região ser o que é, e quer coisa mais impactante do que conhecer o trabalho de quem produz um objeto fundamental para o turístico gastrônomico da cidade? Vem comigo fazer essa visita.

Goiabeiras é o bairro onde a associação está localizada, então não é difícil encontrar. É acessível, a 2,5km do aeroporto de Vitória e a cerca de 3km da praia mais famosa, Camburi. A visita é gratuita e não precisa de agendar, mas se você gosta de colocar a mão na massa e quer tentar criar a sua própria panela, pode ligar e agendar com algum dos associados, que vai te receber e auxiliar com o processo! O telefone é o (27) 3327-0519, ligue para confirmar dias e horários de funcionamento.

Procurando hospedagem? Reserve pelo Booking, site onde normalmente faço minhas reservas. Recomendo também o Airbnb, onde é possível alugar a casa inteira ou apenas 1 quarto, deixando a viagem ainda mais econômica! Cadastre no Airbnb usando este link e ganhe R$100 de desconto na sua primeira hospedagem.

O processo de fabricação das panelas de barro é ensinado de pai pra filho e passa por várias gerações. Antigamente estes profissionais trabalhavam por conta própria, até que criaram a Associação das Paneleiras de Goiabeiras, que funciona como uma cooperativa. Dentro de um galpão cada pessoa tem o seu espaço para fabricação e comercialização das peças, que são fabricadas de forma totalmente manual.

Neste espaço, as mulheres (são a grande maioria!) moldam as peças, que são variadas: panelas de todo tipo e tamanho, potes, frigideiras, bules, cinzeiro e o que a imaginação permitir. Depois de moldada, os peças são expostas do lado de fora do galpão, para secar ao sol. Depois de secas, elas são queimadas em uma grande fogueira, em temperatura altíssima.

Nesta etapa, as peças recebem um banho de um líquido escuro feito da casca de uma árvore, retirada direto do mangue que fica bem ali ao lado. A casca é amassada e liberam o que eles chamam de tanino, que é o que deixa as panelas com cor escura e serve como proteção para as peças. Para jogar este líquido nas peças, as paneleiras usam um arbusto que também cresce no mangue, ou seja, há todo um motivo para a associação estar neste local.

Para se ter ideia da importância da tradição, o saber envolvido na fabricação artesanal de panelas de barro foi o primeiro bem cultural registrado, pelo Iphan, como Patrimônio Imaterial no Livro de Registro dos Saberes, em 2002.

Se você vai ficar mais tempo na cidade, pode até fazer uma encomenda que eles criam o que você desejar, bem do seu jeitinho. Ótima lembrança pra trazer pra casa, guardar de recordação e presentear os amigos!

Achei o passeio maravilhoso e importante demais. Quando se fala em Espírito Santo, uma das primeiras coisas que vem a memória são as moquecas capixabas, servidas nas panelas de barro pra ficar quentinho por mais tempo. E a gente nem para pra pensar como foram fabricados e principalmente, quem fabricou. Conhecer e ver como é extremamente trabalhoso e cansativo, ficar no sol escaldante e ainda com fogueira, suando para vender peças por 10, 20, 40 reais faz a gente dar muito mais valor para o prato que chega a nossa mesa.

Paneleiras de Goiabeiras

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: